O Diabão e o Diabinho






Dizem que certo dia, um Diabão muito experiente nas artes malignas foi escalado para ajudar um Diabinho nos primeiros ensaios de como promover o mal. Os dois caminhavam pelas ruas apinhadas de uma cidade qualquer. O Diabão, bom pedagogo, receitava o que o noviço precisava fazer para arrasar com a vida dos humanos.

Ali, mostrava como o dinheiro pode arruinar a almas; acolá, como a arrogância sempre foi eficaz em antecipar tropeços; mais além, como insuflar traição entre amigos.

De repente, o Diabinho viu um homem apanhar algo reluzente do chão. O homem segurava uma luz, que de tão brilhante, alumiava todos ao redor. Como bom aprendiz, perguntou:

- O que é aquilo? O que ele segura nas mãos?

O Diabão respondeu sem hesitar:  

– Ele acaba de achar uma verdade.

- Mas, você não vai arrancar a verdade das mãos dele? – insistiu o inexperiente Coisa-ruim.

- Não é preciso, vejo que ele vai abrir uma igreja.