O diabo vai à terapia






Em um bela manhã, daquelas onde podemos ainda ver o amanhecer do dia observando as ultimas gotas de orvalho caírem das folhas e ouvir os primeiros cânticos dos pássaros, minha secretaria com a voz assustada me ligou para ir ao consultório o mais rápido possível, pois lá se encontrava um paciente em surto psicótico, eu fiquei surpreendido pois é de costume meus pacientes marcarem horário, mas em se tratando de um diagnostico tão serio não pensei duas vezes e fui.

Chegando na entrada do consultório avistei uma das cenas mais surpreendentes que meus olhos já poderiam ver, o inferno em peso estava ao redor do imóvel em prantos, até o momento em que cheguei, cada um deles que por sinal eram meus piores pesadelos, (desde o bicho papão até a mula sem cabeça) pareciam ter se aliviado pela minha presença, mas ao entrar dentro do consultório a coisa piorou, em primeira instância fui revistado por dois demônios, estavam procurando algo como uma bíblia, sal grosso, sabonete ungido ou o mais eficaz “óleo da unção”, percebendo que não tinha nada disso, um deles mim orientou : - Sem Pai nosso ou avemaria, o chefe ta na sua sala. Minha secretaria descabelada e defumada pelo odor, fez o sinal da cruz e apontou os dois dedos sobre a cabeça sinalizando que o chifrudo me aguardava, até esse momento tudo estava em silêncio, mas quando abri a porta da minha sala a coisa ficou preta ou endiabrada!

No divã estava nada mais, nada menos que mister lúcifer, ou tradicionalmente falando o próprio capetão, aos berros escandalosos, para nenhuma mulher histérica botar defeito, nervoso peguei minhas anotações e a caneta, sentei-me perto dele, acho que a histeria foi tão grande, que nem notou minha presença lá, foi quando bati o sino três vezes, vossa malvadeza “nos soluços” olhou para mim todo angustiado e começou a desabafar:

- Que porra véi, eu quero morrer! Não agüento mais tanto sofrimento na minha vida, o mundo caiu em cima de mim, não tenho mais paz, eu fui traído, trapacearam comigo, estou sem identidade, ninguém mais me respeita, nem se quer tem medo de mim. Antes eu era o centro das atenções da humanidade, eu era temido, tinha meu reino todo organizado, tinha até mesmo um secretario (que por sinal era um gato) que auxiliava todos os dias meus trabalhos, agora o inferno virou de cabeça para baixo, tudo ta uma bagunça, por conta desses demônios incompetentes que trouxe comigo depois que “cansei de morar no céu” digamos assim, mas não vem ao caso, o que quero dizer que eu estou dentro de um colapso nervoso, estou com uma grande crise existencial!

- Eu amava o povo antigamente quando diziam que a culpa de tudo era minha, (a culpa do tal casamento, do mal negocio do carro, da igreja safada, das traições, das demissões, dos acidentes, das mortes), agora ninguém mais menciona meu nome, minhas malignidades, eu mim sinto tão usado e deixado de lado, pois o povo cansou de mim, estão se esquecendo quem eu sou e o que represento para eles, será que Deus é quem ta fazendo isso comigo, eu vou processá-lo se descobrir!

- Agora nas igrejas não tem mais cultos de libertação, há! como eu amava ser entrevistado ao vivo na TV, eu me sentia uma celebridade, e quando o pastor falava de mim, que eu era isso, que eu era aquilo todo o santo dia, isso fazia com que se enchesse meu ego, agora a coisa mudou, tudo agora é auto-ajuda, pensamento positivo, ser o centro do universo, conquistar a “merda” da tal escada do sucesso, se tornar um líder bem sucedido, se os planos dos homens não deram certo, eles vão a palestras de auto ajuda, a treinamentos para reconhecimento de falhas e alcance de metas, não tem mais oração, jejum, leitura bíblica, como eu divertia fazendo com que eles desanimassem no caminho, a culpa que antes era minha, agora é por que faltou a tal campanha da chave, a tal corrente, hoje a falha por alguma coisa não der certo é porque tem que descer a escada novamente para ver no que foi que ainda não tinha realizado, isso me deixa “puto véi”, e eu, cadê eu nisso! Eu estou é claro fazendo o possível para que as pessoas me notem, mas depois dessa globalização, dessa cultura espiritualista positivista, tudo dá errado para mim, eu não agüento mais! - Doutor fale alguma coisa, eu estou desesperado, eu estou a beira de um suicídio.

Acabando minhas anotações cheguei a uma conclusão, a única opção que parecia coerente para mister lúcifer era orienta-lo a seguir outras metas em sua vida, como estava tremendamente deprimido, orientei para que em primeiro plano fizesse uma viajem de 30 dias para descansar e aproveitar as riquezas do mundo, afinal ele é o rei deste mundo, em segundo lugar que procurasse meditar mais em seus ganhos, falhas e possibilidades para um novo empreendimento a longo prazo, afinal todos estamos em crise, e esse momento é oportuno para novos desafios, em ultimo orientei para que voltasse a igreja e conversasse primeiro com o pastor dela, quem sabe assim voltaria a mídia e ao mundo das celebridades.