Solidariedade como critério de julgamento escatológico



 

  


Um dos mais interessantes discursos atribuídos a Jesus no Evangelho de Mateus se encontra em 25.31-46, que trata do grande julgamento escatológico. 

O Ungido enfim, senta-se no seu trono de glória e reúne todas as nações diante dele. Então ele separa a humanidade em dois grupos. Um dos grupos recebe as boas-vindas do Messias e do seu reino, mas o outro grupo é reprovado e fica fora do reino.

A questão central: o critério de julgamento do Messias.

Não será a moralidade; se você fez isso e deixou de fazer aquilo, se não tocou naquilo e deixou de ouvir aquilo.

Não será nem mesmo a fé no Messias!!!!!

Não é se você foi fiel dizimista nem fiel freqüentador dos cultos. Não é se foi ou deixou de ser cristão.

O critério será o bem ou o mal que cada um tiver feito ao seu semelhante, os "irmãos de Jesus" (v. 40).

Se você deu comida a quem tinha fome, deu água ao sedento, se hospedou o forasteiro sem teto para dormir; se vestiu a quem estava nu, se foi solidário na enfermidade ou na privação de liberdade.

Jesus chama a esses necessitados "meus pequeninos"; Sempre que alguém fez o bem a um dos pequeninos, o fez para Jesus; toda vez que alguém deixou de fazer o bem a um dos pequeninos, a Jesus deixou de fazer.

Este será o único critério para o julgamento final segundo Mateus 25.31-46.