G12 e os crentes estilo “herbalife”



Você pode me perguntar o que certos crentes têm em comum com vendedores de Herbalife. Você já teve contato com um desses vendedores? Se eram seus amigos, eles já não o verão mais como amigo, mas como cliente em potencial, a quem poderão empurrar centenas de produtos. Verão você também como  mais um vendedor em potencial, cuja adesão ao “sistema” renderá a eles uma comissão e elevação de status dentro do “sistema”. Eles não conseguem mais conversar normalmente com você, sem mencionar Herbalife e insistir que você compre seus produtos e vá em reuniões da Herbalife.

Há até uma sátira com relação à famosa frase: “Quer emagrecer? Pergunte-me como!”, que é um clássico dos adeptos dessa “seita” de vendedores. A frase modificada é: “Quer perder seus amigos? Pergunte-me como!”

Leia abaixo parte do depoimento de uma pessoa que foi envolvida no “sistema” Herbalife:

“Fiquei tão enfeitiçado com a Herbalife que passei a assediar as pessoas de meu círculo de relacionamento com esse assunto o tempo todo. Eu respirava Herbalife. Eu tinha certeza de que o mundo todo estava errado e que meus parentes e amigos eram “cegos” por não enxergarem as maravilhas dos produtos e as vantagens da oportunidade de negócios da Herbalife. Afinal eu estava convencido de que estava lutando por um mundo melhor, que estava trabalhando para a melhor empresa do mundo, que tinha os melhores produtos e a melhor oportunidade de sucesso. Na prática, dinheiro que é bom, até ganhava, mas era menos do que eu tinha que gastar para manter a atividade.
Ou seja, estava tendo prejuízo e gostava.”


Ainda não expliquei o que um crente poderia teria a ver com um vendedor de Herbalife, para justificar o “estilo herbalife” da postagem. Você não conhece nenhum que, apesar de saber que você já pertence a uma igreja e está feliz lá, tenta te levar pra igreja dele, porque “é melhor”? Tenta te arrastar para reuniões “tremendas” das quais você não quer participar, empurrar livros, CDs e DVDs que você não está interessado em comprar e dos quais você não precisa? E mesmo você já sendo cristão, ele insiste em tentar converter você ao “sistema” de religião ao qual ele mesmo está preso.




O que é o G-12?

“O G-12 é um movimento de perfil neopentecostal, que tem assumido práticas esotéricas e espíritas, tais como regressão psicológica e “liberação de perdão a Deus”. Além disso, os conceitos teológicos postulados pelo G-12, tais como suas crenças quanto à revelação, o Homem diante de Deus, Pecado, Igreja, Santidade e a Doutrina sobre o Espírito Santo, não condizem com o ensino bíblico ortodoxo.

O G-12 também emprega diversos métodos psicológicos de mind control (controle da mente) para moldar a personalidade dos “encontristas” e fazer com que eles se encaixem na “visão”. Veja mais sobre o controle mental abaixo.

Síndrome de “superioridade”, acusação e tendência a divisão são comuns nesses movimentos. Eles consideram que os crentes de igrejas convencionais estão mortos espiritualmente.

Problemas de manipulação excessiva dos membros, demasiada ênfase em dízimos e ofertas, metas de conversão impostas, encontros a serem realizados etc. provocam muitas desistências a longo prazo. Pessoas que eventualmente deixarem o movimento vão sair esgotadas, feridas e vão se sentir “usadas”. A maioria pode desistir do cristianismo no futuro.

Pastores que sentem-se complexados por liderarem igrejas sem projeção, podem ser presas fáceis para a metodologia do G-12. À primeira vista, a proposta de um crescimento explosivo parece um convite irresistível. Porém, a estrutura do G-12, bem como sua filosofia não passam de uma bem elaborada estratégia de marketing e gerenciamento de recursos humanos. Não há nada de sobrenatural nisso. É um esforço humano para o recrutamento de adeptos. Mas, isso não significa que estas pessoas estejam nascendo de novo.

Quando se pensa que o novo nascimento pode ser produzido através da manipulação mental ou emocional, não há limite para as invenções humanas. Por outro lado, quando se entende que o novo nascimento é obra do Espírito Santo, que Ele realiza de acordo com o propósito e graça do Deus Trino, não há por quê tentar manipular as pessoas para conseguir o que só Deus pode fazer. O D. M. LLoyd Jones já exortava a igreja a não confundir conversões psicológicas com conversões espirituais.

O que as pessoas precisam é ouvir o Evangelho puro e simples, compreender o estado miserável de pecado em que se encontram, saber que a ira de Deus repousa sobre elas, ouvir que a graça de Deus que é dispensada àqueles a quem Deus quer salvar e que a única maneira de se achegarem ao Deus santo é pelo arrependimento e pela fé no que Jesus Cristo realizou de uma vez por todas no Calvário.

Confundir metodologia mercadológica com evangelho é uma aberração, e é isso que está acontecendo nos ambientes onde o G-12 está ganhando espaço. Se um crente não participou do “Encontro”, não está liberto ainda. Se não pertence a uma das “células castellanas”, não pertence ao Corpo de Cristo, porque as células são o Corpo. Quanta tolice e pretensão!”

Inclusive, as reuniões da Herbalife são bem parecidas com as do G-12. Colocam anúncios misteriosos nos jornais para atrair incautos e curiosos, onde não se cita o nome Herbalife, falando em altíssimos ganhos em pouco tempo, apelam ao emocional e à manipulação mental das pessoas presentes nas reuniões, fazem as pessoas se sentirem perdedoras, ou sentir que estão jogando uma excelente oportunidade por não fazerem parte do “sistema”. E depois que você entra, passa a ser um proselitista do “sistema”, dos mais chatos, que afasta as pessoas da sua presença. Até você mesmo acredita que não existem produtos melhores que os da Herbalife e não existe empresa melhor do que a Herbalife.

O corpo de Cristo não precisa desse tipo de estratégia agressiva de marketing. Quem dá o crescimento, é Deus.

Deus não precisa fazer lavagem cerebral em ninguém. Ele respeita a pessoa e dá a ela a liberdade de escolher, conscientemente e também racionalmente, seus caminhos.