Deus não habita no meio dos louvores!


“Porém tu és Santo, o que habitas entre os louvores de Israel.” Salmo 22:3 [ARC]

Deus não habita no meio dos louvores! Pelo menos não do jeito que algumas pessoas gostam de empregar o versículo.

O louvor não é uma espécie de mantra evocatório, no qual Deus se manifesta independente de sua vontade só porque um louvor foi cantado.

Com o uso inadequado desse versículo, o louvor ganhou status de Shekinah. O louvor e a presença do SENHOR fundem-se numa união mística indivisível, que faz da presença divina uma condição necessária do louvor, ou o louvor não seria louvor.

A presença divina seria comparada ao fóton, que está presente na luz. Onde há luz, há fótons. Deus está presente nos louvores, Ele habita no meio dos louvores. Assim como as ondas sonoras habitam no meio dos sons musicais, Deus também faz dos louvores a sua morada. Onde há fumaça, há fogo. Onde há louvores, ali está Deus presente. Não é nada disso! Vejamos o porquê.

A palavra hebraica que foi traduzida na Almeida Fiel e Almeida Corrigida como habitar é
יָשַׁב /yashab/. Essa palavra pode significar:

Sentar – “E as intimarás a teus filhos e delas falarás assentado [yashab] em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te, e levantando-te.” Dt 6:7
Habitar – “Enquanto Israel habitou [yashab] trezentos anos em Hesbom...” Jz 11:26
Morar – “Porque morando [yashab] eu em Gesur, na Síria...” 2Sm 15:8
Entronizar – “O SENHOR reina; tremam as nações. Ele está entronizado [yashab] entre os querubins; comova-se a terra.” Salmo 99:1

Não se trata de uma variação de versões da Bíblia, pois todos os versículos acima foram extraídos da mesma versão: Almeida Revista e Corrigida. Quando trabalhamos com tradução, é muito comum encontrar uma única palavra que receberá múltiplas traduções em outros idiomas. Essa é uma realidade comum a qualquer idioma. Quem já teve a oportunidade de estudar inglês ou espanhol sabe do que estou falando.

Morar e habitar têm significado e aplicação semelhante. Poderíamos trocar um pelo outro em Jz 11:26 e 2Sm 15:8 sem comprometer o significado do texto, mas os outros verbos são completamente diferentes.

O salmo 22:3 deveria ter sido traduzido como o Salmo 99:1 - “Porém tu és Santo, o que é entronizado entre os louvores de Israel”. E se consultarmos o dicionário, aprenderemos que entronizar significa: elevar-se, subir ao trono, tornar elevado, sublime, glorioso; enaltecer, altear, engrandecer.

O que o salmista na verdade quis dizer foi que Deus é enaltecido nos louvores de Israel, que Deus era engrandecido quando se cantava louvores em Israel.

Observe o próprio contexto do Salmo 22. Nos versículos 1 e 2, ele demonstra sua sensação de sentir-se abandonado pelo Senhor, mas ressalta a partir do versículo 3 que o abandono não pode ser verdadeiro, e há motivos para crer assim: “..tu és Santo, ... engrandecido entre os louvores de Israel. Em ti confiaram nossos pais; confiaram, e tu os livraste. A ti clamaram e escaparam; em ti confiaram e não foram confundidos.”

Observe que a primeira palavra do versículo 3 é porém. Trata-se de uma conjunção coordenativa adversativa, ou seja, essa palavra introduz ou finaliza uma oração ou um período cujo conteúdo faz oposição ou restrição ao que foi dito na oração anterior (nos versículos anteriores); tem o mesmo valor das palavras: mas, contudo, todavia, apesar disso e não obstante. Seja qual for a tradução de sua Bíblia, você encontrará uma dessas conjunções.

Parafraseando um pouco os versículos de 1 a 5, será possível entender o contexto mais claramente.

Paráfrase
Almeida Revista e Corrigida
Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? Por que te alongas das palavras do meu bramido e não me auxilias?
Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? Por que te alongas das palavras do meu bramido e não me auxilias?
Deus meu, eu clamo de dia, e tu não me ouves; de noite, e não tenho sossego.
Deus meu, eu clamo de dia, e tu não me ouves; de noite, e não tenho sossego.
Mas o abandono que sinto não pode ser verdadeiro, porque tu és Santo [e] engrandecido nos louvores de Israel.
Porém tu és Santo, o que habitas entre os louvores de Israel.
(Por que tu és engrandecido nos louvores em Israel? Porque) Em ti confiaram nossos pais; confiaram, e tu os livraste.
Em ti confiaram nossos pais; confiaram, e tu os livraste.
A ti clamaram e escaparam; em ti confiaram e não foram confundidos.
A ti clamaram e escaparam; em ti confiaram e não foram confundidos.

Para apresentar a interpretação correta do versículo 3, acabo parafraseando demais os versículos 3 e 4, mas considero minha paráfrase coerente, segundo o contexto dos versículos 1 a 5. Permanecerá aquela briga entre os defensores da tradução de equivalência formal e equivalência dinâmica, mas vale considerar a tradução que a Nova Tradução na Linguagem de Hoje propõe para o mesmo trecho.

“Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste? Por que ficas tão longe? Por que não escutas quando grito pedindo socorro? Meu Deus, durante o dia eu te chamo, mas tu não respondes. Eu te chamo de noite, mas não consigo descansar. Tu, porém, és santo e, sentado no teu trono, recebes os louvores do povo de Israel. Os nossos antepassados puseram a sua confiança em ti; eles confiaram em ti, e tu os salvaste. Eles te pediram ajuda e escaparam do perigo; confiaram em ti e não ficaram desiludidos."

Considere também a Nova Versão Internacional, como um meio termo entre a paráfrase da NTLH e a equivalência formal das outras versões.

“Tu, porém, és o Santo, és rei, és o louvor de Israel.”

Mesmo para aqueles que não confiam nas traduções da NTLH e NVI, ou desconhecem o hebraico para consultar os originais, poderiam tirar suas próprias conclusões simplesmente consultando as outras versões de equivalência formal para verificar que não faz sentido dizer que Deus habita no meio dos louvores no sentido literal da palavra habitar.