Padre Fábio de Melo: O Admirável Herege Católico!

elviscaricaturas.zip.net

Nota introdutória a leitura da matéria: Particularmente entendo que todo dogmatismo enrijecido pela tradição ou manutenção do poder de uma instituição, empobrece e cerceia tanto o crescimento intelectual como o desenvolvimento espiritual que são estimulados e dinamizados pela constante busca de informação em novas fontes que ofereçam perspectivas alternativas as já exploradas.

Contraditoriamente as declarações do escritor do texto abaixo que deve ser fundamentalista em relação aos dogmas e teologia do romanismo, prefiro afirmar que: "Às vezes transgredir se faz necessário para progredir", e creio que, tanto Fábio de Melo assim como outros nomes de expressão que deixaram sua enriquecedora contribuição no catolicismo romano como é o caso do brasileiro Leonardo Boff e o peruano Gustavo Gutiérrez Merino, acertaram em suas decisões de não se fecharem em “teologias herméticas prontas para consumo”, dando-se o direito e proporcionando novas percepções.


No dia 25 de dezembro de 2011, domingo, Padre Fábio de Melo fez uma participação no Programa Aventuras do Didi, e deixou sua “mensagem” de natal.
Com um discurso eloqüente, que como temos percebido, infelizmente não está serviço de Deus, Padre Fábio de Melo, insisti em fazer apologia ao Comunismo e à Teologia da Libertação.
Este, em pele de ovelha, com palavras bonitas, um discurso “açucarado”, deixa sua mensagem de Natal. Porém, a boca fala o que o coração está cheio. Novamente o padre dá uma declaração que vai totalmente contra a religião cristã.

O padre diz:

“No dia 25 de dezembro, nós comemoramos a entrada de Deus na terra, no mundo , no mistério da encarnação; encarnando-se em um homem revolucionário…”  (apologia clara ao Comunismo e à Teologia da Libertação).
Abramos os olhos. Não nos deixemos enganar.
Veja o que disse o Papa Bento IV, em seu livro “Jesus de Nazaré – Da entrada em Jerusalém até a Ressurreição” (lançado em 10/03/2011): "... Jesus “não vem [ao mundo] empunhando a espada de um revolucionário”, e sobre o mesmo assunto continua: “Esta tese provocou uma onda de teologias políticas e de teologias da revolução”, censurando tacitamente movimentos como a teologia da libertação.


Com suas palavras relativistas, o padre Fábio de Melo mostra mais uma vez seu apoio à algo que vai contra nossa Santa Igreja, e que a mesma considera uma heresia – a Teologia da Libertação. E essa não foi a primeira vez. Em Entrevista ao Jornal “O Valor”, em 16/01/2010:

Valor: A propósito, seu parceiro, o católico Gabriel Chalita, vereador em São Paulo, trocou o PSDB pelo PSB, virou socialista. O que você acha do socialismo?

Pe. Fábio de Melo: A proposta de Jesus é socialista, né? O socialismo tem sido mal interpretado. Bem aplicada, sem os exageros da antiga União Soviética, a proposta socialista só edifica.

Valor: Teologia da Libertação?

Pe. Fábio de Melo: “Também foi importante. Admiro seu fundador, o peruano e dominicano Gustavo Gutiérrez-Merino. No Brasil, Leonardo Boff teve importância na espiritualidade desses tempos. Foi coerente ao abandonar a Igreja e concluir que estava no lugar errado. Exerceu um direito”.

Agora leia esta frase do Papa Leão XIII: “Não ajudar o socialismo . Tomai ademais sumo cuidado para que os filhos da Igreja Católica não dêem seu nome nem façam favor nenhum a essa detestável seita” (Quod Apostolici Muneris, no. 34).                                                                                                                                                          
Teologia da Libertação, prega um conceito marxista (inspirado pelo teórico do marxismo, do comunismo, Karl Marx), segundo o qual haverá um paraíso na Terra quando os pobres retirarem dos ricos as riquezas e as distribuírem, criando assim uma sociedade sem classe.


Sobre a religião, veja o que diz Karl Marx: “O homem faz a religião, a religião não faz o homem. A religião é o suspiro da criatura atormentada, o sentimento de um mundo sem coração, como o é o espírito de estados fora do tempo. Ela é o ópio do povo” (Karl Marx, em “O Manifesto Comunista”).

…e Lenin, líder do partido comunista, na revolução russa:
“É preciso combater a religião, eis o A B C do comunismo” (Lenin).
“Deus é uma mentira” (Lenin).
“O homem que se ocupa em louvar a Deus se suja na sua própria saliva” (Lenin)
“Deus é o inimigo pessoal da sociedade comunista” (Lenin, carta a Gorki)

Agora faço a seguinte pergunta: por que apoiar esta ideologia marxista, que por onde passou só trouxe mortes, destruição e a perseguição da igreja?

Oremos por nossos sacerdotes, pois precisamos de homens santos, que preguem o verdadeiro Evangelho de Cristo, que dêem testemunho com uma vivência de santidade, e não com exposições na mídia.
Intensifiquemos nossas orações por nossa Igreja, para que Senhor venha inspirar homens, mulheres e crianças; que desejem verdadeiramente a santidade, que possam, e tenham a coragem de combater as investidas de satanás contra nossa santa Igreja Católica Apostólica Romana.

 


Veja o vídeo polêmico abaixo: