Os donos de Deus



Os donos de Deus sabem onde você deve ir
O que você deve fazer
Sabem como você deve agradar a Deus
E sabem se você crê ou não.
Eles sabem que palavras usar
E defendem Deus dos outros que não são donos dele também.
Eu já fui dona de Deus.
Dava muito trabalho.
Até que um dia decidi ser d’Ele
passei a andar por onde ele está.
Onde ele está?
Tem dias que o encontro em meu quarto
Tem dias que o encontro numa música
numa poesia e eu aprendo.
Tem dias que eu não sei o que dizer
Então corro e faço carinho no meu cachorro
Deixo de maldizer
Ligo para um amigo, ajudo alguém
E então ele fala comigo!
Quando Deus era minha propriedade
Eu tinha que ser exemplo para mostrar para o mundo que eu tinha Deus
Mas agora deixo que o mundo sinta, se puder sentir algo em mim
Descobri o talvez e que talvez  ele não escute palavras, nem enxergue aparências
Descobri o que é entonação da alma
O que é rebeldia, erro e concerto
E fazer da vida uma adoração
Descobri que talvez eu não precise cantar para Deus ficar feliz
E que talvez ele me conheça do início ao fim e não fique me salvando e condenando, salvando e condenando...
Ele , cuida de mim.
Me concerta, me anima
Me conduz a pastos verdejantes
E ainda assim atravesso vales, desertos e montanhas
Não reclamo, Ele é o caminho.
Dizem que eu não vivo em comunhão
Não sabem que eu comungo com todos que creêm em Deus
Com os que crêem em Jesus
Com os que caminham tropeçando e levantando.
Só não comungo com paredes.
Nem cargos, nem com dias específicos para adorar.
Eu comungo com os que acreditam
que não há amor por Deus
Sem gentileza, compreensão e amor ao próximo.
E de uma vez por todas
Descobri que posso estar errada
Que posso me arrepender
Mas que isso não é vergonha
é viver fora como se é por dentro.

O texto não visa super valorizar o meu relacionamento espiritual e diminuir o das outras pessoas que tenham uma visão diferente. É apenas uma reflexão e uma resposta para uma situação que vivenciei.