Reafirmando nosso compromisso como seguidores de Jesus de Nazaré




Seguir Jesus de Nazaré é simples, complicado é ser religioso.

Quando digo que é simples, longe de estar dizendo que é fácil, pois, fácil não é.

Quando digo que é complicado ser religioso não estou dizendo que é impossível, estou dizendo que é trabalhoso, pois, toda religião tem um “deus” irado e como qualquer “deus” irado, requer sacrifícios dos seus súditos/adoradores.

Por Jesus de Nazaré ter cumprido tudo que a lei exigia e ter se tornado o nosso mediador com o Pai, cabe aos seus seguidores uma resposta também tão amorosa quanto a radical generosidade do Pai Eterno.

É simples assim, no entanto, é amorosamente radical e esta radicalidade amorosa não poucas vezes é assustadora, pois, prescinde de sacrifícios meritórios.

A religião estabelece critérios objetivos quanto as oferendas que seus “deuses”requerem de seus seguidores.

Os seguidores de Jesus de Nazaré devem submeter suas próprias consciências a Ele  e uma vez cativos dEle, escolhem, decidem, caminham, agem e reagem. É assim.

É simples, mas, não é fácil, pois, requer mínimos de reflexão e comprometimentos radicais.

Pra seguir uma religião e seu “deus”é só cumprir os requisitos pré determinados.

Pra seguir Jesus de Nazaré, é necessário sobriedade e saber lidar com a liberdade adquirida.

Bem, nenhuma novidade nisto.

Isto é só pra reafirmar nossos compromissos como Movimento Caminho da Graça que é um movimento em movimento que se identifica com o Evangelho. Apenas com o Evangelho de Jesus de Nazaré. Nos identificamos, claro, com  todos os que também se identificam com este mesmo Evangelho.

Compromisso de insistir na releitura do Evangelho na tentativa de traduzi-lo para o chão da vida.

De nos reunirmos como Igreja de maneira simples, informal, interativa, leve, responsável e bem humorada também.

De priorizar as pessoas em detrimento das coisas.

De não criarmos nenhuma estrutura pesada.

De não sangrar financeiramente ninguém em busca de algum tipo de barganha com o Eterno.

De orar simples, mas, orar sempre.

De ouvir a nós mesmos. De ouvir o outro e, quem sabe, neste processo, ouvir o Eterno Pai.

De radicalizar no amor e no amar e por conta disto acolher a todos sem nenhuma acepção.

De não constranger ninguém a vir, ficar ou voltar, já que, no amor e no amar, todos são livres pra escolher em amor o que suas próprias consciências em Cristo, decidem.

De anunciar que o Eterno Pai está reconciliado com a humanidade e “rogar” a  todos que se  reconciliem com Ele.

De insistir que a graça chega a todos INCLUSIVE os considerados imperdoáveis e,  os toca e os convida ao arrependimento.

De lembrar a todos que é a Bondade do Eterno Pai que nos leva ao arrependimento e ao perdão.

De considerar os ciclos da vida, que são os constantes encontros, desencontros e reencontros.

Que neste caminhar perseverante, alguns, sim, alguns se REENCANTEM com Jesus de Nazaré e re-inaugurem uma jornada de fé, com os pés no chão da vida, coração aquietado e a alma acolhida e sossegada no COLO ETERNO do ETERNO PAI.

Você, sua família, amigos e todos quantos desejarem são convidados a caminhar neste caminho que não é outro caminho senão O CAMINHO.