Como Sair da Igreja de Laudicéia?

----- Original Message -----
From: COMO SAIR DA IGREJA DE LAUDICÉIA?
To: contato@caiofabio.com
Sent: Wednesday, February 04, 2009 4:01 PM
Subject: E quando a igreja se jacta de sua austeridade moral e financeira?


Caro Pr Caio,

Pertencia a um grupo que diferentemente do contexto denominacional, tratava-se de uma igreja local que iniciou há 10 anos e cresceu vertiginosamente. Hoje com 6 congregações, mais de 1000 membro na sede.

Na verdade sempre houve um culto velado à instituição criada e ao pastor fundador, que embora nunca tenha feito menção direta a este culto, deixa as coisas subentendidas nas entrelinhas.

Quando procurei o pastor para me desligar da igreja e seguir apenas procurando amigos que hoje já não tinham qualquer receptividade por nada que configurasse igreja, e com eles repartir em casa mesmo, o evangelho de Jesus — a justificativa do pastor foi a de que eu poderia fazer isto estando na igreja e liderando os jovens (o que fiz por vários anos), e que a igreja não era como as outras, era austera nas finanças, construíra imóveis, adquirira chácaras e templos, e que eu só não era “pastor” por que andava meio “distante”.

Sem nunca ter procurado ministério algum, hoje exerço o meu, em casa e no consultório.

Quando a igreja se acha boa de-mais e se jacta por ser assim, fazendo dos seus membros que resolveram sair, uns ingratos, talvez seja mais difícil ainda o desligamento.

Não há traumas, pecados sexuais ou desvios financeiros para funcionarem como justificativa ou processo catalisador.

Eu saí e o site entrou ...

Abçs
___________________________________
Resposta:

Amado mano de muito boas outras cartas: Graça e Paz!

Sim! Quando a “igreja” vira uma “Laudicéia”, então, como sair? Ou quando se torna uma “igreja” tipo “Éfeso”, no Apocalipse, como é possível sair?

É fácil sair de “Tiatira”, de “Pergamo”, que eram “igrejas” em via de emacumbamento. Ou seria fácil até mesmo sair da linda igreja de “Filadélfia”, que seria ruim para muitos crentes por não ter “poder humano”, embora Jesus não lhe tenha feito criticas, mas apenas louvado-a pelo seu amor e fidelidade.

No caso “Laudicéia” havia tudo e um pouco mais que na sua “ex-igreja”. Dinheiro, finanças em ordem, crentes ricos, e nada faltava; exceto calor e compromisso de amor. Daí terem ficado “mornos”.

No caso de “Éfeso/Apocalipse” havia boa doutrina e ortodoxia, mas não havia amor.

Sair de um grupo que não ensina a latir, a subir as paredes, que não ensina doutrinas erradas e não explora o povo, mas que é jactante, arrogante, superior e cultuador de si mesmo, é tarefa muito mais difícil para os “crentes normais”, que são em geral supersticiosos, e, em razão disso, jamais fariam como você, com sua liberdade e segurança em Cristo — posto que diferentemente de você, a maioria dos “crentes”, ao saírem do encontro com o pastor, caso tivessem uma dor de cabeça, já interpretariam isso como as primeiras conseqüências da desobediência. Ou, quando não fosse esse o caso, a pessoa sairia se sentindo ingrata por não ter acusações a fazer, mas apenas impossibilidade de figurar na vitrine entre os manequins de gesso.

Aí, porém, reside a diferença entre meninos e homens no que tange à fé.

Meninos criam “razões”. Homens agem conforme a consciência.

Que você continue firme.

Ensine a Palavra em casa e no consultório mesmo.

Também não se preocupe jamais em vir para o “Caminho da Graça”, a menos que lhe seja útil; pois, no que me concerne, quero ver pessoas se reunindo em torno da Palavra do Evangelho, e o “Caminho da Graça” não é gargalo para nada, e, se um dia for, e se eu mesmo ainda estiver aqui, saiba: acabo com ele como movimento que eu criei... assim...: em dois tempos; posto que não estou aqui para alisar “instituições” que se tornem “bichinhos de estimação”, e nem tampouco para forçar fluxos para dentro de nosso leito histórico e humano [no Caminho da Graça], pois, no que me concerne, só me interesso mesmo é pelo que seja espontâneo e verdadeiro, onde quer que eu encontre tal realidade.

Receba meu beijo e minhas orações!

Você sabe que estou aqui!...

Nele, que é o nosso Mestre e Senhor,


Caio

5 de fevereiro de 2009
Lago Norte
Brasília
DF