Taras Ministeriais

 Por Franklin Rosa

Definitivamente, o pragmatismo neo-pentecostal perdeu a noção de sanidade mental.

Adauto, pastor da Assembléia de Deus Avivamento profético, usa a infância e inocência de sua filha Alani como meio de marketing de suas “Taras Ministeriais”.

A primeira vista, parece até nobre a atitude de incentivar a garota e os espectadores como via para a propagação do “Reino”, mas a verdade é que essa prática não passa de aliciamento de menores e maiores com a intenção da auto-promoção e auto-satisfação :“Tara Ministerial”.

Tara, Estupro, Pedofilia, são vários os adjetivos que poderiam incorporar-se à esse fato que fere  a dignidade, inocência e infância de um criança que não tem a menor noção das conseqüências psicológicas e sociais disso no futuro, com o agravante da conivência dos “voyers de igreja”.

Mais uma excelente reportagem do Roberto Cabrini e do SBT para que venhamos fazer uma reflexão honesta e desprovida de sentimentos subjetivados.

Taras Ministeriais - Parte 01


Taras Ministeriais - Parte 02


Taras Ministeriais - Parte 03