O que ele tinha que nós não temos?

Mateus 3:1-13

E, NAQUELES dias, apareceu João Baptista, pregando no deserto da Judéia, E dizendo: Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus. Porque este é o anunciado pelo profeta Isaías, que disse: Voz do que clama no deserto, preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas.E este João tinha o seu vestido de pêlos de camelo e um cinto de couro em torno dos seus lombos; e alimentava-se de gafanhotos e de mel silvestre. Então ia ter com ele Jerusalém e toda a Judéia e toda a província adjacente ao Jordão; E eram por ele batizado no rio Jordão, confessando os seus pecados. E, vendo ele muitos dos fariseus e dos saduceus, que vinham ao seu batismo, dizia-lhes: Raça de víboras, quem vos ensinou a fugir da ira futura? Produzi pois, frutos dignos de arrependimento; E não presumais de vós mesmos, dizendo: Temos por pai a Abraão; porque eu vos digo que, mesmo destas pedras, Deus pode suscitar filhos a Abraão. E também agora está posto o machado à raiz das árvores; toda a árvore pois, que não produz bom fruto, é cortada e lançada no fogo. E eu, em verdade vos batizo com água, para o arrependimento; mas aquele que vem após mim é mais poderoso do que eu; cujas alparcas não sou digno de levar; ele vos batizara com o Espírito Santo e com fogo. Em sua mão tem a pá e limpará a sua eira e recolherá no celeiro o seu trigo e queimará a palha com fogo que nunca se apagará. Então veio Jesus, da Galileia, ter com João, junto do Jordão, para ser batizado por ele. Mas João opunha-se-lhe, dizendo: Eu careço de ser batizado por ti e vens tu a mim?

O que ele tinha que nós não temos?

Analisando... aos olhos naturais, o que um homem como João Batista tinha para oferecer?
Suas vestes eram feitas de pêlo de camelo.
Em volta de seus lombos um cinto de couro. (Não tinha se quer uma "sacola" com algo que pudesse oferecer).
Se alimentava de mel silvestre e gafanhotos (Não tinha se quer com que alimentar-se direito).
Se reunia no deserto (Não tinha nem igreja).
Uma palavra pesada, sem freios na língua "raça de víboras" (Um "doido" arrogante).
E o cara, mesmo com estas "majestosas" e nada atraentes características, tinha algo intrigante... "Então ia ter com ele Jerusalém, e toda a Judéia, e toda a província adjacente ao Jordão...".
O Poder que fibrilava na vida de João Batista era algo sobrenatural, que atraiu até Jesus...
Vinham pessoas de todos os lados, eram atraídas pela pregação de João Batista, mesmo os mais religiosos saduceus e fariseus, não podiam se conter e iam ao seu encontro.
Mas ele porém não se sentia atraído pela multidão, mantinha sua postura, seu chamado, seus princípios, e quando vê Jesus de uma forma simples, sem murmuração, sem inveja, sem se preocupar com o que iriam achar a seu respeito (pois ele era a estrela do momento), reconhece publicamente a Grandeza do Senhor Jesus e se coloca como dependente dele também...
“Então veio Jesus, da Galileia, ter com João, junto do Jordão, para ser batizado por ele. Mas João opunha-se-lhe, dizendo: Eu careço de ser batizado por ti e vens tu a mim”.
Hoje andamos com os melhores ternos - Armani, Gucci, Hugo Boss...
Carregamos nossas bolsas com Notebook e Bíblia com capa de couro de jacaré...
Almoçamos nos melhores restaurantes, e degustamos das mais variadas comidas...
Temos lindos templos, com poltronas, data show, estacionamento...
Usamos o melhor da nossa neurolinguistica, com palavras mansas, que alegram e divertem os ouvintes...
E mesmo com tudo isso, temos que investir pesado em marketing, campanhas milagreiras e as vezes até em "ilusionismo santo" para atrair as pessoas...
Que será que Ele tinha que nós não temos?

"Onde falta a simplicidade do evangelho, não há lugar para a manifestação do poder de Deus"

"Em Cristo, que faz fibrilar através do Seu Espírito Santo, a simplicidade do Evangelho em nossas vidas, e nos faz semelhantes a João Batista."


Cássio Ghiotti

Jundiaí, 04 de setembro de 2010